Category Archives: Notícias

Março 2016

Sector petrolífero vai financiar o novo Fundo Azul

Sector petrolífero vai financiar o novo Fundo AzulA constituição do ‘Fundo Azul’, anunciado na semana passada pelo Conselho de Ministros exclusivamente dedicado aos assuntos do Mar, foi ontem concretizada em Diário da República, num dos últimos decretos-lei promulgados por Aníbal Cavaco Silva enquanto Presidente da República. O diploma estabelece que o sector petrolífero deve ser uma das fontes de financiamento deste fundo concebido pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino.

Desta forma, “podem ser afectas ao Fundo, parte das receitas do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos cobrado sobre o gasóleo colorido e marcado, a definir anualmente na Lei do Orçamento do Estado”. Por outro lado, está igualmente previsto no referido diploma a existência de “contribuições financeiras dos titulares da concessão, no domínio da Investigação & Desenvolvimento e Inovação tecnológica da pesquisa e produção ‘offshore’ de petróleo e gás, nomeadamente na segurança das operações ‘offshore’, através do pagamento de uma taxa destinada ao Fundo Azul, a ser definida por portaria aprovada pelos membros do Governo responsáveis pelas áreas das Finanças, da Economia e do Mar”.

O Fundo Azul vai começar a promover actividades ligadas ao Mar a partir de 1 de Janeiro de 2017. Nesta fase embrionária, não receberá qualquer dotação do Orçamento do Estado para 2016, mas essa deverá ser outra das fontes regulares de financiamento do Fundo Azul a partir do próximo ano, seja directamente do OE ou através de transferências de entidades do Sector Empresarial do Estado, em particular as administrações portuárias, “designadamente pela alocação de parte do produto das taxas cobradas”. Ana Paula Vitorino disse na semana passada que este ano, sem dotações orçamentais, o Fundo Azul deverá captar cerca de 10 milhões de euros de financiamento para as suas actividades.

Estão também previstas contribuições da União Europeia, “sujeitas a orientações fixadas pelas estruturas de gestão dos respectivos programas operacionais e aos regulamentos nacionais e comunitários que subordinam os capitais colocados no fundo”.

Outras fontes de financiamento do Fundo Azul derivarão de percentagens das receitas resultantes da cobrança da taxa de utilização do espaço marítimo; dos dividendos de cada administração portuária; das receitas destinadas aos cofres do Estado e de taxas cobradas por serviços prestados pelas capitanias dos portos; e das receitas destinadas aos cofres do Estado e de taxas cobradas por serviços prestados pela direcção-geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos. Todas estas percentagens serão fixadas em despachos específicos a publicar posteriormente.

O Fundo Azul terá por finalidade o desenvolvimento da economia do mar, a investigação científica e tecnológica e a protecção e monitorização do meio marinho e a segurança marítima.
Ler mais/Fonte: economico.sapo.pt

 

Porto de Sesimbra mantém liderança na pesca

Porto de Sesimbra mantém liderança na pescaO porto de Sesimbra, localizado a cerca de 30 km de Setúbal, continua a ser um dos portos de pesca mais importantes do país, quer em volume, quer em valor de pescado transacionado, assumindo particular relevância na comercialização de pescado para a área metropolitana de Lisboa. Se, por um lado, a envolvente do porto é caracterizada por uma zona de costa dominada por falésias e outros elementos geográficos com uma presença marcante, que limitam a área portuária, por outro, o porto dispõe de um boa acessibilidade marítima, condições de abrigo, boas profundidades e escassas necessidades de dragagens.

A lota de Sesimbra, em funcionamento desde 1995, está equipada com importantes e modernas infraestruturas de apoio à comercialização de pescado. O leilão está todo informatizado, não permitindo qualquer tipo de irregularidade. Este é feito por afixação em painel eletrónico, com contagem decrescente e licitação por telecomando. A lota dispõe ainda de modernos e eficazes meios de operação de pesagem, transporte, transação, conservação e comercialização do pescado desembarcado, garantindo um funcionamento eficaz de todo o processo.

O porto de Sesimbra constitui, indiscutivelmente, um forte indutor de desenvolvimento local não só pela riqueza gerada pela pesca como pelas especificidades culturais introduzidas por aquela atividade e que tornam Sesimbra atrativa para o turismo. A grande mais-valia do porto para a geração de riqueza, integrada numa perspetiva de desenvolvimento harmónico e respeitador dos equilíbrios naturais, surge, precisamente, da exploração de atividades ligadas ao mar para o desfrute de belezas naturais, para o consumo turístico e para o lazer.

A estratégia da APSS, SA para o desenvolvimento do porto de Sesimbra, face aos constrangimentos, nomeadamente de ordem financeira, e as oportunidades existentes, assenta no reordenamento, modernização e ampliação das infraestruturas e condições de segurança e funcionamento do porto de pesca, visando potenciar o desenvolvimento da atividade piscatória, fomentar a náutica de recreio e interceder no sentido de melhorar as acessibilidades terrestres ao porto pelo lado poente.
Ler mais/Fonte: portodesetubal.pt

 

Executivo celebra protocolos no contexto do conhecimento do mar e da literacia para os oceanos

Executivo celebra protocolos no contexto do conhecimento do mar e da literacia para os oceanosEntre as várias medidas hoje aprovadas em Conselho de Ministros, com incidência nas necessidades sector do Mar e das suas metas pendentes, o Executivo celebrou dois protocolos no âmbito do desafio do conhecimento sobre o mar e da literacia para os oceanos – o Protocolo que estabelece o Prémio Nacional Mário Ruivo – Gerações Oceânicas e Protocolo de cooperação entre o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e a Ministra do Mar.

O primeiro premiará anualmente um projecto original no tema «Conhecer e Interagir com o Oceano», firmado entre o Ministro da Cultura, o Ministro da Educação e a Ministra do Mar, focando-se na “sensibilização e promoção da Literacia para o Oceano nos programas educativos e formativos, através de campanhas e acções de sensibilização e divulgação de conhecimento, numa perspectiva educacional, mas também social, científica, cívica e ambiental”, como explicita o comunicado.

O segundo prende-se com a aplicação de “esforços na promoção de sinergias entre os departamentos governamentais e a sociedade civil, em particular com a comunidade académica e científica em ciências e tecnologias do mar. Estes esforços traduzir-se-ão no desenvolvimento do conceito do Centro de Observação Oceânica, bem como do fomento do desenvolvimento de tecnologias e de novos materiais indispensáveis à intervenção em offshore e na promoção da sensibilização e promoção da Literacia para o Oceano”.
Ler mais/Fonte: cargoedicoes.pt

 

 

Fevereiro 2016

MSC Cruzeiros adquire Ilha nas Caraíbas

MSC Cruzeiros adquire Ilha nas CaraíbasA firma MSC Cruzeiros, a companhia de cruzeiros com sede em Genebra, na Suíça e número um em Portugal e na Europa, na América do Sul e Sul de África, revelou planos ambiciosos para criar uma experiência exclusiva numa ilha das Bahamas.

Este projecto visionário foi anunciado em 16 Dezembro, em Nassau, capital das Bahamas, onde o primeiro ministro Perry Christie e o Presidente Executivo da MSC Cruises, Pierfrancesco Vago assinaram um contrato de aluguer por 100 anos, que permitirá à MSC Cruzeiros ocupar uma pequena ilha, que será chamada de Ocean Cay MSC Marine Reserve.

Ao longo dos próximos dois anos, a MSC Cruzeiros vai trabalhar em conjunto com o Governo das Bahamas para desenvolver a pequena ilha de Cay, que pela primeira vez, estará dentro de uma próspera reserva marinha e irá coexistir em harmonia com o ecossistema local. Este projecto vai ajudar a transformar a base da economia local, criando numerosos empregos qualificados no setor do turismo.

A ilha irá oferecer aos passageiros algumas das melhores praias no mundo, entre um variado conjunto de experiências inspiradas nas Caraíbas. A MSC Cruzeiros, uma das companhias de cruzeiro com mais consciência ecológica, vai investir cerca de 200 Milhões de dólares (USD) na criação de um paraíso natural numa ilha deserta. Pierfrancesco Vago, Presidente Executivo da MSC Cruises, afirmou que …este é um progresso natural para a nossa companhia, que está a crescer muito rapidamente,

Todas as instalações e experiências na ilha, que está situada a cerca de 60 milhas a leste de Miami, na Florida, serão solidárias com a cultura3514 01 e tradições das Bahamas. Um plano paisagístico abrangente pretende plantar por toda a ilha mais de 80 tipos de árvores indígenas das Caraíbas, flores, arbustos e mangais. Haverá também uma aldeia semelhante às das Bahamas, vários restaurantes e bares oferecendo especialidades locais, uma grande variedade de lojas e um centro de chegadas, animado com música temática local.

A MSC Cruzeiros prevê iniciar os desenvolvimentos na ilha em Março de 2016e a Ocean Cay MSC Marine Reserve será aberta aos passageiros em Dezembro de 2017.

Este projecto proporcionará uma presença permanente da MSC Cruzeiros nas Bahamas. O Cay será ideal para todos os navios que estiverem a realizar itinerários nas Caraíbas, nomeadamente o MSC DIVINA e o MSC SEASIDE, o navio de próxima geração que se encontra ainda em construção, ambos com partidas de Miami, e ainda o MSC OPERA e o MSC ARMONIA, que navegarão a partir de Cuba.
Ler mais/Fonte: revistademarinha.com

 

Porto de Leixões atingiu novo recorde de mercadorias em 2015

Porto de Leixões atingiu novo recorde de mercadorias em 2015O movimento de mercadorias no porto de Leixões atingiu em 2015 um novo valor recorde de 18,7 milhões de toneladas. Este total representou um crescimento de 3,7% face ao ano anterior. Considerando o porto de Viana do Castelo, que está integrado na APDL – Administração dos Portos do Douro e de Leixões, o total de mercadorias movimentadas no ano passado ascendeu a 19,2 milhões de toneladas.

Em 2015, o porto de Leixões cresceu 6,7% na movimentação de granéis líquidos (combustíveis), 12,1% na carga fraccionada e 10,5% em granéis sólidos (cimento, cereais, carvão, etc).

Mas o segmento de carga que registou maior crescimento no porto de Leixões no ano passado foi o de ‘ro-ro’ (embarque e desembarque de automóveis), com uma subida de 73% face a 2014.No segmento de contentores, verificou-se uma quebra de cerca de 8% face ao ano precedente: -6,4% no movimento de contentores e, dimensão (TEU – unidade–padrão equivalente a contentores com 20 pés de comprimento) e -7,5% em número.

A APDL explica, em comunicado, a quebra da carga contentorizada com “a redução significativa das exportações para Angola”. “Com exportações para 184 países e uma média mensal de 1,6 milhões de toneladas de mercadorias a circular em Leixões, este porto fecha 2015 com o melhor resultado de sempre, atingindo recordes na movimentação de granéis líquidos, sólidos e carga ‘ro-ro’”, sublinha o referido comunicado da APDL.
Ler mais/Fonte: economico.sapo.pt

 

Comissão Europeia quer reduzir lixo marinho em 25%

Comissão Europeia quer reduzir lixo marinho em 25%A Comissão Europeia (CE) adoptou hoje, dia 2 de Dezembro, um novo pacote da economia circular para incentivar a transição da Europa para uma economia circular, que «reforçará a competitividade a nível mundial, promoverá um crescimento económico sustentável e criará mais emprego», segundo consta de um comunicado da instituição.

«Os planos aproveitarão ao máximo o valor e a utilização de todas as matérias‑primas, produtos e resíduos, promovendo poupanças de energia e diminuindo as emissões de gases com efeito de estufa. As propostas abrangem todo o ciclo de vida: da produção ao consumo, à gestão dos resíduos e ao mercado das matérias-primas secundárias», acrescenta o comunicado.

A transição será apoiada pelos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento, «por 650 milhões de euros do Horizonte 2020 (programa da UE de financiamento para investigação e inovação), por 5,5 mil milhões de euros de fundos estruturais para a gestão dos resíduos e por investimentos na economia circular a nível nacional».

Entre as principais medidas agora adoptadas ou a aplicar «durante o mandato desta Comissão», consta uma estratégia para o plástico na economia circular e, neste contexto, o objetivo de reduzir o lixo marinho em, pelo menos 25 por cento, através da aplicação da legislação relativa aos resíduos.
Ler mais/Fonte: jornaldaeconomiadomar.com

 

 

Janeiro 2016

Fluviário de Mora com novos habitantes

Fluviário de Mora com novos habitantesO Fluviário de Mora abriu portas para receber novos moradores, um total de 12 novos peixes de água salgada que habitam agora naquele espaço. Doze novas razões para conhecer ou voltar a visitar aquele que foi o primeiro grande aquário de água doce na Europa, criado a 21 de Março de 2007.Os novos habitantes do fluviário são duas raias (Raias undulata), quatro corvinas (Argyrosomus regius) e seis pargos (Pagrus pagrus).

Para além de conhecer as novas atracções, não perca a oportunidade de ver todos os outros animais do Fluviário, como as lontras ou conhecer o tanque que alberga peixes gigantes. Ou, então, participar no programa “O Mistério de Natal” feito especialmente para esta época natalícia, com actividades para todas as idades.

Ao fim de oito anos, por onde passaram mais de 730 mil visitantes, crianças, famílias, escolas e outros grupos, o Fluviário de Mora continua a inovar e a renovar-se como a maior e mais reconhecida instituição em Portugal, e também na Europa, de divulgação do maravilhoso mundo dos Rios e dos Lagos.
Ler mais/Fonte: nauticapress.com

 

2015 foi o melhor ano de sempre na movimentação de mercadorias no Porto de Aveiro

2015 foi o melhor ano de sempre na movimentação de mercadorias no Porto de AveiroO total de mercadorias movimentadas em 2015 no Porto de Aveiro atingiu 4.656.103 toneladas, passando este a constar como o melhor ano de sempre no que diz respeito ao tráfego de carga. O crescimento registado face a 2014, ano onde foi obtido o anterior máximo, foi de 3,57 pontos percentuais.

Representando 49,52% do tráfego de mercadorias do Porto, as exportações cresceram 0,23 pontos percentuais em relação ao ano transacto, alcançando 2.305.540 toneladas. Com um peso de 50,48% no total de mercadorias movimentadas, as importações somaram 2.350.563 toneladas, revelando um crescimento de 7,08 pontos percentuais.

Salienta-se o crescimento de 18,63 pontos percentuais (mais 304.922 toneladas) em relação a 2014, verificado nos Granéis Sólidos, com um total de 1.941.946 toneladas movimentadas, que constituem 41,71% do agregado do Porto. No segmento da Carga Geral foram movimentadas 1.685.911 toneladas, representando 41,71% do movimento total e nos Granéis Líquidos verificou-se um tráfego de 1.026.706 toneladas, perfazendo 22,05% do movimento anual.

No que diz respeito ao número de escalas no Porto de Aveiro e às dimensões dos navios, 2015 apresenta valores assinaláveis. Um total de 1.093 navios visitaram o porto durante o ano, o que representa um crescimento de 9,85 pontos percentuais (mais 98 navios) em relação a 2014. Ainda em relação a 2014, a arqueação bruta total destes navios apresenta um crescimento de 12,87 pontos percentuais (mais 560.699) e o comprimento total uma subida de um 9,92 pontos percentuais (mais 10.145 m).
Ler mais/Fonte: portosdeportugal.pt

 

Calypso, o navio do comandante Cousteau vai voltar ao mar

Calypso, o navio do comandante Cousteau vai voltar ao marA associação proprietária do Calypso, o célebre navio de exploração oceanográfica do comandante Jacques-Yves Cousteau, ao abandono desde 2007 num porto francês, anunciou esta quinta-feira que a embarcação vai regressar ao mar. “Estamos a trabalhar para tirar o navio de Concarneau (Bretanha, oeste de França) no prazo de três meses. O nosso objetivo é reparar completamente o navio e que volte a navegar para ser o embaixador dos oceanos, como queria o comandante”, disse a associação Equipa Cousteau.

“Consideramos serem necessários entre 12 e 18 meses para pôr o Calypso a navegar. Já contactámos empresas para esta empreitada”, acrescentou. A bordo do Calypso, o explorador Jacques-Yves Cousteau percorreu, a partir de 1950 e durante mais de 40 anos, os oceanos para realizar filmes sobre os fundos marinhos, vistos em todo o mundo.

Com o seu barrete vermelho de escafandrista, Cousteau realizou vários documentários, sendo provavelmente o mais famoso “Le Monde Du Silence”, que ganhou a Palma de ouro no festival de cinema de Cannes, em 1956. Em janeiro de 1996, o Calypso naufragou em Singapura. Posto a flutuar, foi colocado em Concarneau em 2007, onde devia ter sido restaurado. Divergências entre o estaleiro naval Piriou, encarregado dos trabalhos, e a Equipa Cousteau interromperam a recuperação do navio.

Em dezembro de 2014, a justiça francesa determinou que a associação devia retirar o Calypso do estaleiro antes de 12 de março deste ano e pagar à Piriou os trabalhos já efetuados, no valor de cerca de 300 mil euros. A Equipa Cousteau indicou que o navio podia ser exposto no Mónaco, na água ou em doca seca, enquanto a empresa ameaçava leiloar o Calypso. “A Equipa Cousteau conseguiu sentar, à mesma mesa, vários mecenas internacionais generosos e muito motivados”, disse a associação na sua página digital.

“Quando o Calypso regressar ao Mediterrâneo, estará a navegar com os seus próprios motores, como queria o comandante Cousteau”, acrescentou Francine Cousteau, segunda mulher do explorador e presidente da Equipa Cousteau. Em comunicado, o estaleiro Piriou garantiu que fará “tudo ao seu alcance para permitir a saída do Calypso da doca nas melhores condições”, apesar de afirmar desconhecer o projeto de retirar o navio durante o primeiro trimestre. O estaleiro confirmou ter recebido, em dezembro, a soma devida pela associação.
Ler mais/Fonte: observador.pt

 

 

Dezembro 2015

Rockport patrocina única equipa Portuguesa feminina de Vela

Rockport patrocina única equipa Portuguesa feminina de VelaA Rockport, empresa americana pioneira em calçado cosmopolita com tecnologia desportiva integrada, patrocina as velejadoras Sara Mota Carmo e Matilde Pinheiro de Melo no seu percurso para representarem Portugal nos próximos Jogos Olímpicos, a decorrerem no Rio de Janeiro em 2016.

Fundada em 1971, a Rockport continua a apresentar nas suas coleções calçado náutico, construído segundo avançada tecnologia que permite aos velejadores conquistarem os mais desafiantes mares e oceanos do mundo. Integrada no espírito das aventuras marítimas, a marca patrocina a equipa constituída por Sara Mota Carmo e Matilde Pinheiro de Melo.

Segundo Cátia Tomé, Responsável de Marketing da Rockport Portugal “A marca nasceu nos EUA com uma história ligada à náutica e estamos muito orgulhosos de poder escrever um novo capítulo ao apoiar duas esperanças da Vela Portuguesa. A Sara e a Matilde são atletas dedicadas e de grande talento. Neste momento, estão a competir por um lugar nos Jogos Olímpicos de 2016 sendo a única representação nacional feminina na Vela. Torcemos pela participação de Portugal no Rio 2016.”
Ler mais/Fonte: local.pt

 

Turismo fluvial bate recordes

Turismo fluvial bate recordesOs sinais são evidentes. O turismo no Douro está a crescer”, afirma Raquel Maia, responsável pela Delegação do Douro da Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

Num balanço sobre o turismo fluvial no Douro em 2015, a administradora da APDL referiu à agência Lusa que, até outubro, passaram pela via navegável cerca de 760 mil passageiros, mais 145 mil do que em todo o ano de 2014 (615 mil).

Depois da apresentação será feita a demonstração do dispositivo, que decorrerá no Porto de Abrigo da Nazaré, por volta das 12H30.A sessão será acompanhada de um cocktail.

Falta ainda contabilizar os meses de novembro e dezembro, pelo que, segundo Raquel Maia, os valores de 2015 podem “chegar a uma ordem de grandeza a rondar os 900 mil passageiros”. “Está claro que o rio Douro vai de vento em popa enquanto canal de navegação turística”, sublinhou.

O bom desempenho registou-se em todos os segmentos de negócio ligados ao turismo fluvial, onde existem 38 operadores e 99 embarcações. Em 2010 operavam neste rio 58 embarcações.
Ler mais/Fonte: expresso.sapo.pt

 

Portugal presente na Boot Duseldorf 2016

Portugal presente na Boot Duseldorf 2016Também em 2016, Portugal estará presente na Boot Düsseldorf, através de quase três dezenas de empresas que ocupam cerca de 300 m2 de área. Mais de uma dezena de empresas dos Açores, e de Norte a Sul do Continente, empresas como a FeelDouro, a PalmaYachts, a Marina de Lagos, a Mermaid Ideas, a Rulis / Silenwind, e a Sun Concept se farão representar, bem com uma região estreante, Sagres / Vila do Bispo, que apresenta seis expositores, a Cape Cruiser, a Divers Cape, a Mar Ilimitado, a Pura Divehouse, Sagres Natura e a SeaXplorer.

A Boot Dusseldorf, a maior feira europeia de desportos náuticos e atividades associadas, terá lugar no perído de 23 a 31 de Janeiro, nos arredores da cidade de Dusseldorf, perto de Colónia, na Alemanha, no Estado da Renânia – Westfália.

Os dezassete pavilhões que a integram vão receber mais de 1.700 expositores, a maioria alemães, mas muitos, cerca de 47%, de mais de sessenta países, designadamente3498 01 o Reino Unido, a França e a Holanda.

ela primeira vez estarão representados todos os Estados do Caribe Oriental, um destino turístico considerado exótico e muito atraente.
Ler mais/Fonte: revistademarinha.com

 

 

Abril 2015

Sines recebe um dos maiores navios porta contentores em operação

Sines recebe um dos maiores navios porta contentores em operaçãoNo passado dia 22 de março a PSA Sines operou o maior navio porta contentores que alguma vez fez escala no terminal de contentores de Sines, no Terminal XXI. O navio EVELYN MAERSK é um mega porta contentores que atinge quase os 400 m de comprimento, 56 m de boca e um calado de 16 m. Tem uma capacidade de transporte de 14.770 TEUs, dos quais 1286 contentores refrigerados.

Sines foi o seu primeiro porto de escala na Europa, tendo partido da Malásia a 6 de Março, seguindo-se agora uma escala no porto de Le Havre. Desde Janeiro deste ano que os serviços efetuados no âmbito da Aliança 2M entre os armadores MSC e Maersk, começaram a fazer escala no Terminal de Contentores de Sines, sendo expectável que tal contribua para um incremento nos volumes de carga manuseados.

O aumento na quantidade e frequência de serviços das linhas de navegação que fazem escala no Terminal de Contentores de Sines será benéfico para os exportadores Portugueses, dotando-os assim de um acesso atempado e de baixo custo aos mercados internacionais. Neste contexto, o porto de Sines ficaria também beneficiado com ligações ferroviárias diretas ao interior da Península Ibérica.
Ler mais/Fonte: revistademarinha.com

 

Nazaré acolhe apresentação pública e lançamento do Wave Glider

Nazaré acolhe apresentação pública e lançamento do Wave GliderRealizou-se dia 27 de março, no auditório da Biblioteca Municipal da Nazaré, a partir das 10h00, uma sessão informativa sobre o “Wave Rider”, um projeto da Maretec, destinado a criar uma indústria próspera que irá ajudar a reduzir as causas das alterações climáticas e criar empregos a longo prazo, enquanto protege o ambiente costeiro e marinho.

Entre os convidados presentes na sessão estarão o Presidente da Câmara Municipal da Nazaré e de Peniche, as Autoridades Marítimas da Nazaré e de Peniche, os responsáveis da Zona Piloto para o aproveitamento das energias marinhas, a coordenadora do projeto a nível Europeu, o responsável do projeto a nível nacional e os responsáveis pela instalação e missão do dispositivo.

Depois da apresentação será feita a demonstração do dispositivo, que decorrerá no Porto de Abrigo da Nazaré, por volta das 12H30.A sessão será acompanhada de um cocktail.

O dispositivo Wave Glider, movido a energia das ondas e pilotado remotamente, tem por missão recolher dados sobre as ondas, correntes, condições atmosféricas e presença de aves e mamíferos marinhos, será lançado ao mar, no sábado, dia 28, às 12h00, no Porto de Abrigo.

O Wave Glider fará trajetos na zona costeira da Nazaré, Peniche e São Pedro de Moel em zonas com potencial para a implementação de projetos de energia renovável marinha. Esta ação enquadra-se no projecto Europeu sobre o estudo das Energias Renováveis Marinhas de nome Turnkey no qual é parceiro o MARETEC, um grupo de investigação do Instituto Superior Técnico. O dispositivo irá fazer observações até ao início do mês de Maio.
Ler mais/Fonte: cm-nazare.pt

 

Estaleiro da Sustentabilidade é uma das atrações culturais da Volvo Ocean Race em Santa Catarina

Estaleiro da Sustentabilidade é uma das atrações culturais da Volvo Ocean Race em Santa CatarinaDe 3 a 19 de abril crianças e jovens participarão de oficinas, workshops e da formação de líderes sustentáveis na Vila da Regata do Itajaí Stopover. Amyr Klink e Izabel Pimentel são alguns nomes já confirmados dentro do programa. Estaleiro, embarcadouro, alto mar, deriva, tormenta e volta ao mundo. Através de metáforas ligadas ao mundo da navegação serão ministradas oficinas, workshops e formações de líderes sustentáveis a crianças e jovens que passarem pela Vila da Regata do Itajaí Stopover – parada brasileira da 12ª Volvo Ocean Race – durante o período de 3 a 19 de abril. O projeto chamado de “Estaleiro da Sustentabilidade” deve receber mais de 3 mil pessoas e é desenvolvido pela Agência Brasileira de Inovação e Sustentabilidade (ABIS) em parceria com a Quíron Educação.

O Estaleiro da Sustentabilidade está a ser montado nos antigos contentores de transportes marítimos que já tiveram sua vida útil esgotada. O ambiente interno será composto por mesas feitas com catracas; a iluminação escolhida é a fria devido à economia de luz e os lustres são de material ecológico. “Trazer o nosso projeto para dentro da Volvo Ocean Race é uma grande conquista. Acreditamos que as características de um velejador estão ligadas a de um líder sustentável entre elas: inovar e criar dentro das dificuldades, lidar com as incertezas, gerir recursos e pessoas e, principalmente, ser ético e responsável”, explica o diretor de inovação e estratégia de negócios da ABIS Daniel Isfer Zardo. A partir dessas semelhanças foram desenvolvidos os projetos para crianças e jovens. Conheça a seguir a programação desenvolvida:

Oficinas para crianças de 4 a 12 anos serão abertas ao público – As oficinas para as crianças serão de curta duração, mas com mensagens impactantes. De 30 a 45 minutos, os pequenos farão a “Volta ao Mundo” onde será apresentada a realidade do mundo atual e projeções do que pode acontecer caso não ocorra uma mudança de atitude. A partir disso, elas serão desafiadas a encontrar soluções práticas para a resolução desses problemas e maneiras de incorporá-las ao quotidiano. As atividades serão realizadas através de histórias e muitas brincadeiras interativas. “As crianças são a base para a mudança de comportamento da sociedade. Através do trabalho desenvolvido é possível formar cidadãos mais conscientes, capazes de se preocuparem não apenas com si mesmos, mas com todo o entorno”, explica Zardo. As oficinas serão realizadas de segunda a sexta-feira das 14 às 17 horas. E nos finais de semana em horários alternados com os workshops.

Formação de jovens líderes sustentáveis – Ao contrário do trabalho desenvolvido com as crianças, o processo de formação de jovens líderes sustentáveis será restrito. Estão em processo de seleção 50 jovens de 15 a 21 anos das cidades de Itajaí, Navegantes, Balneário Camboriú e Camboriú que já atuam em organizações locais focadas em trabalhos voltados à comunidade. “Nosso objetivo é transformar a vida dos jovens, e para isso fazemos um processo de seleção bastante criterioso para identificação de possíveis talentos. Isso se faz necessário porque nosso processo é seleto e focado no desenvolvimento de habilidades e competências humanas capazes de criar líderes sustentáveis independentemente da área de atuação”, destaca Zardo. Para a etapa da Volvo Ocean Race serão mais de 50 horas de trabalho, de segunda a sexta-feira, das 18 às 21 horas.
Ler mais/Fonte: nauticapress.com

 

 

Março 2015

Alentejo Litoral 2014-2020

Alentejo Litoral 2014-2020A CIMAL – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral está a elaborar a Estratégia de Desenvolvimento Integrado de Base Territorial para o Alentejo Litoral 2014-2020. Esta Estratégia destina-se, por um lado, à preparação do próximo período de programação comunitária, mas também a dotar o território dos instrumentos necessários para a prossecução de um modelo de desenvolvimento integrado que concorra para a competitividade, emprego e coesão.

Nesse sentido, um dos pressupostos para o desenvolvimento desta Estratégia é a valorização das valências do território e a dinamização do potencial dos recursos endógenos, infraestruturais e humanos. A metodologia adotada visa o envolvimento dos atores relevantes da sub-região, procurando a elaboração de diagnóstico participado e de uma Estratégia que seja apropriada pelos principais agentes de desenvolvimento. A elaboração da Estratégia de Desenvolvimento Integrado de Base Territorial para o Alentejo Litoral 2014-2020 comporta duas etapas:

1. Elaboração da Estratégia de Desenvolvimento Territorial 2014-2020, incluindo um diagnóstico sintético e as grandes linhas estratégicas para o Alentejo Litoral. Nesta fase incluiu-se, igualmente, todo o processo de acompanhamento e negociação com as entidades regionais e da Administração Central no âmbito da preparação das estratégias NUTS II Alentejo e nacionais para o período programação comunitária 2014-2020.

2. Plano de Ação para o Desenvolvimento da Estratégia Territorial 2014-2020, incluindo a elaboração dos planos de investimento para aplicação dos fundos comunitários do próximo quadro de apoio. Transversalmente, desenvolve-se uma proposta de modelo de governação sub-regional que garanta a coerência das intervenções e que prossiga os objetivos centrais definidos pela Comissão Europeia para o período de programação 2014-2020, enquadrando-se nos novos instrumentos previstos para a gestão e aplicação de fundos de forma integrada.
Ler mais/Fonte: cimal.pt

 

O 78º aniversário da Revista de Marinha

O 78º aniversário da Revista de MarinhaTeve lugar no passado dia 4 de Fevereiro, no Clube Militar Naval, em Lisboa, a comemoração do 78º aniversário da Revista de Marinha. O seu primeiro número, recorda-se, foi publicado em 31 de Janeiro de 1937, tendo então como Director, Mauricio de Oliveira.

O evento em apreço teve início pelas 18h30 com palavras de boas-vindas proferidas pelo Cte. Miguel Picoito, Presidente da Direcção do Clube, a que se seguiu uma curta intervenção do Diretor, V/Alm Alexandre da Fonseca, que agradeceu as muitas presenças e se referiu ao ano de 2014, assinalando que a revista… seguiu em regime de navegação corrida, no inicio do ano com mar cavado, que foi amainando… . Como referido pelo seu Diretor, foram publicados os habituais seis exemplares, apenas aumentando o número de páginas das 68 para as atuais 72. O último número da revista, a RM 983, teve 1703 envios pelo correio, a que se devem somar algumas assinaturas em formato digital. A revista é também vendida em cerca de 400 bancas.

Seguiu-se a oferta ao N.R.P. CORTE REAL, na pessoa do seu Comandante, CFrag Cortes Lopes, de uma aguarela daquele navio, que serviu de capa à RM 983, numa feliz composição do pintor de arte e estimado assinante, Sr. Fernando Lemos Gomes, presente no evento. Nesta ocasião, foi tamb3282 03ém prestada uma breve homenagem ao nosso amigo e fiel colaborador, Cte. Joaquim Ferreira da Silva – a quem desejamos uma pronta e total recuperação e cuja presença, na companhia de seus filhos, muito apreciámos – através da oferta de um objeto decorativo – um astrolábio náutico, cortesia da firma Nautique – em agradecimento pela sua estimável colaboração na revista, ao longo de muitos anos!

Teve então lugar um sorteio, seguido com muita curiosidade pelos presentes, de quatro viagens de cruzeiro entre os assinantes da revista, cortesia das firmas MSC-Cruzeiros, DouroAzul, Portuscale Cruises e agência MELAIR-Cruzeiros a cujas administrações muito agradecemos. Parabéns aos premiados: a jovem assinante Inês Santos Fernandes, Cte. Pedro Proença Mendes, Dra. Raquel Sabino Pereira e Cte. João Carmo Silva, nossos estimados assinantes, respetivamente, com os números 4747, 5872, 5550 e 4295, com sinceros votos de viagens tranquilas e repousantes !

Por fim, teve lugar a entrega do prémio literário “Revista de Marinha 2014” ao autor do melhor artigo original publicado na revista no ano passado. O Presidente do Júri, Alm. António Balcão Reis, referiu-se aos trabalhos de seleção, dificultados pela grande qualidade da maioria dos artigos, tendo na ocasião palavras de muito apreço para os nossos colaboradores. Informou que o Júri deliberou atribuir o prémio ao artigo “O Shipping, o Ambiente e a Poluição Atmosférica da Costa Portuguesa”, de que foi autor o Engº Jorge Antunes, e ainda uma menção honrosa ao texto “A Rota do Ártico”, do Sr. Dieter Dellinger. O prémio consistiu num objeto decorativo de pendor náutico, cortesia também da firma Nautique, sendo a me3282 01nção honrosa agraciada com um exemplar do livro “Fábrica das Naus”, editado pela Academia de Marinha; as entregas destes prémios foram saudadas pela assistência com calorosas salvas de palmas.

A comemoração terminou com um bem servido cocktail, cujo catering foi responsabilidade dos serviços do CMN, a quem agradecemos, e que permitiu uma agradável confraternização a um grupo de cerca de 75 convidados.
Ler mais/Fonte: revistademarinha.com

 

Símbolos Cósmicos: o Mar

Símbolos Cósmicos: o MarEntre 5 de março e 26 de abril, o Museu Dr. Joaquim Manso tem patente ao público “Símbolos Cósmicos: o Mar”, inserida na exposição “A Realidade do Imaginário”, que assinala os 30 anos do Centro Português de Serigrafia.

A exposição “A Realidade do Imaginário”, que assinala os 30 anos do Centro Português de Serigrafia, inaugura às 18h30 de 5 de março, simultaneamente em seis museus nacionais e num mosteiro emblemático da região Centro do país, com uma seleção das suas edições, num total de cerca de duzentas obras de igual número de artistas.

Associam-se a esta celebração, para além do Museu Dr. Joaquim Manso, na Nazaré, os Museus de Aveiro e Guarda, Museu Francisco Tavares Proença Júnior de Castelo Branco, Museus José Malhoa e da Cerâmica nas Caldas da Rainha, e o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha em Coimbra, numa iniciativa da Direção Regional de Cultura do Centro e do Centro Português de Serigrafia (CPS).

A exposição, comissariada por Maria João Fernandes (A.I.C.A., Associação Internacional de Críticos de Arte) e com direção artística de Alexandra Silvano, desenvolve em diversos núcleos, tematicamente, os motivos e os símbolos dos grandes Regimes Diurno e Noturno da Imagem, tal como são abordados pelo grande ensaísta e antropólogo francês Gilbert Durand. O Museu Dr. Joaquim Manso, na Nazaré, recebe um conjunto alusivo ao mar, “Símbolos Cósmicos: o Mar”, enquanto alguns dos mais belos livros e álbuns de arte editados pelo CPS se espalham pelos vários espaços.
Ler mais/Fonte: nauticapress.com

 

 

Fevereiro 2015

SGL promove viagem a Ceuta

SGL promove viagem a CeutaNo programa das Comemorações do 6º Centenário da Tomada de Ceuta, que ocorreu em 1415, há 600 anos, e que a Sociedade de Geografia de Lisboa vem realizando desde 2013, está prevista a realização, este ano, de um cruzeiro aquela cidade do Norte de África, a bordo do lugre SANTA MARIA MANUELA. A viagem em apreço, com partida e chegada a Lisboa, está previsto decorrer de 28 de Março a 3 de Abril.

Após cruzar o Cabo de S. Vicente e a Ponta de Sagres, haverá uma paragem simbólica na baía de Lagos, e uma estadia de 2 dias em Ceuta, onde estão programadas visitas históricas e conferências. Durante a viagem terão lugar a bordo aulas de marinharia e de palestras sobre os Descobrimentos Portugueses.

O SANTA MARIA MANUELA é um bonito veleiro, um antigo navio da pesca do bacalhau, construido em 1937, em boa hora recuperado pela empresa Pascoal e Filhos, de Aveiro, tendo sido dotado de confortáveis alojamentos, camarotes de 2, 4 e seis pax, e está equipado para a realização de cruzeiros de grande qualidade.

Os interesados em participar neste cruzeiro deverão contactar com a SGL, tel 21 342 45 40 ou 21 345 5068, e-mail 3271 geral@socgeografialisboa.pt. O numero de lugares disponiveis é limitado, tendo os sócios da SGL prioridade na reserva de camarotes.
Ler mais/Fonte: revistademarinha.com

 

OCEANO XXI realiza série documental sobre o Mar

OCEANO XXI realiza série documental sobre o MarA Oceano XXI, na qualidade de entidade dinamizadora do Cluster do Conhecimento e da Economia do Mar em Portugal, promoveu a realização de uma série televisiva, “Mar, a Terra Prometida”, que está a ser transmitida na SIC Notícias e que tem envolvidos diversos associados e parceiros do Cluster.

“Mar, a Terra Prometida” é uma série documental constituída por 13 episódios, com cerca de 10 minutos cada, que abarca um diverso conjunto de temáticas relacionadas com o Mar. São abordadas fileiras como a aquacultura e a sua crescente importância na Economia do País; a biotecnologia marinha e a valorização de subprodutos do Mar; a importância da sustentabilidade do recurso Mar; os recursos minerais e geológicos, desde a sua exploração à prospeção; os portos e o turismo náutico; as energias renováveis e seu desenvolvimento; a importância da extensão da plataforma continental e a consequência da aprovação nas Nações Unidas; as ameaças, emergências e segurança no Mar Português; os serviços ligados às operações marítimas; e também a formação e competências necessárias para se operar no Mar.

A série é da autoria de Augusto Barata da Rocha (Professor na FEUP, Diretor do OCEANUS – Centro de Competências da UP e Diretor da Oceano XXI), Eduardo Silva (Professor no ISEP e Investigador no INESC-TEC) e Rui Azevedo (Professor na FEUP e Diretor Executivo da Oceano XXI), e foi produzida pela POCC – Produção de Conteúdos Científicos, Lda.. Para a sua realização colaboraram os associados APDL – Administração dos Portos do Douro e Leixões, S.A., CIM Alto Minho – Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, CIRA – Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, INESC PORTO – Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto, ISCIA – Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração, ISEP – Instituto Superior de Engenharia do Porto e UP – Universidade do Porto, e ainda os parceiros WaveC – Wave Energy Centre e Clube de Vela Atlântico. Estão também associados à série um conjunto de projetos e programas de financiamento, nacionais e estrangeiros, que cofinanciaram a realização dos episódios, a saber, o projeto ATLANTIC BLUE TECH através do programa Espaço Atlântico, o projeto OceaNET através do programa Marie Curie Actions, a FCT e os programas nacionais ON.2 – O Novo Norte e COMPETE. “Mar, a Terra Prometida” é transmitida semanalmente na SIC Notícias (aos sábados pelas 09h45, com repetição às 02h45 de domingo, 15h45 de terça feira e 20h30 de sexta feira).
Ler mais/Fonte: pofc.qren.pt

 

Cursos de Astronomia e Astrofísica 2015

Cursos de Astronomia e Astrofísica 2015Abriram as inscrições para os Cursos de AeA realizados no OAL em 2015. São ministrados por professores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço. Durante o ano há cursos de Iniciação à AeA, sobre Evolução das Estrelas e de Galáxias e Cosmologia, Teoria da Relatividade além de Sistemas Planetários. Os Cursos de Observação Astronómica, dividem-se em Iniciação (há 3 por ano) e de Técnicas de Observação e Análise de Imagem.

O primeiro começa já a 24 de Janeiro com a tutoria dos Profs. Drs. Rui Agostinho e José Afonso:Iniciação à Astronomia e Astrofísica. O objetivo deste curso é explorar conceitos em todas as áreas da AeA modernas, as grandes questões atuais, mostrando as bases científicas do conhecimento com eventual recurso a cálculo simplificado. Se se interessa pelos fenómenos astronómicos, a sua observação e entendimento, então pode usufruir muito com este curso deveras abrangente.

Destina-se a qualquer pessoa e não requer formação numa área científica. Porém, a familiarização com noções de física básica poderá ser uma vantagem e, por isso, é muito recomendado a docentes do EBS que pretendam consolidar e desenvolver conhecimentos.

az-se uma introdução à utilização de telescópios em montagem equatorial motorizada. Observa-se o Sol usando diversas técnicas e, numa noite, fazem-se observações de objetos celestes. Inscrições em http://oal.ul.pt/inscricoes/
Ler mais/Fonte: nauticapress.com