Agosto 2014

Um mar de oportunidades

Um mar de oportunidadesA Imagens de Marca mergulhou numa das maiores riquezas do país: o mar. É este o mote para uma emissão especial que vai aprofundar conhecimentos sobre a importância da economia do Mar.

O setor representa cerca de 2,5% do PIB português mas a estratégia nacional do Mar pretende duplicar este valor até 2020. O país mais atlântico de toda a Europa procura alargar as suas fronteiras marítimas para reforçar a sua aposta em áreas como o Turismo ou as Pescas mas também em novas áreas em crescimento como as Energias Renováveis, a Biotecnologia ou a exploração dos fundos oceânicos.

O peixe português é apontado por muitos como o melhor do mundo, razão pela qual vamos conhecer uma das empresas do setor. Nascida em 1977 a Gelpeixe leva os sabores do peixe congelado português e internacional a diferentes pontos do globo.

A Inovação é um dos pilares fundamentais para o crescimento da Economia do Mar e aliada ao conhecimento científico, várias empresas conquistam o mundo através de algas nacionais… De produtos comestíveis à dermocosmética passando pelos biocombustíveis, as algas afirmam-se como uma mais-valia no mundo dos negócios.

Sem algas no mar mas com muitas ondas para surfar. Esta pode ser a premissa da Ahua, marca portuguesa que produz pranchas de surf inspiradas na tradição do Havai. Mas se até aqui este pode ser apenas mais uma marca, a verdade é que Nuno Mesquita, fundador da marca, desenvolveu um novo conceito de surf: as handplanes, pranchas que se utilizam nas mãos e permitem uma melhor prática para quem gosta de apanhar ondas com o próprio corpo, as chamadas carreirinhas. É a fórmula de sucesso de quem conseguiu juntar a paixão pelo surf e pela arquitetura num só desporto.
Ler mais/Fonte: imagensdemarca.sapo.pt

 

Registo MAR cresce no I Semestre de 2014

Registo MAR cresce no I Semestre de 2014 Os dados finais do primeiro semestre de 2014 relativos ao registo MAR revelam um conjunto de indicadores de grande relevância.

No total, a 30 de Junho de 2014, estão registadas no MAR 302 navios e embarcações, englobando navios de comércio, iates comerciais e iates de recreio. Este valor representa um aumento de 30 unidades em relação ao fim do primeiro trimestre de 2014, quando com um total de 272 navios e embarcações registadas o MAR atingia o maior número de registos desde o momento da sua criação no âmbito do Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM). Trata-se de um balanço que, a exemplo do final de 2013, assinala de forma inequívoca uma das evoluções mais positivas do registo MAR.

Neste quadro, destaca-se, em particular, o crescimento de cerca de 30% no número dos navios de comércio registados, com relação ao período homólogo do ano anterior. Com efeito, a 30 Junho de 2013 estavam registados 155 navios de comércio, enquanto que, no fim dos primeiros seis meses de 2014, o MAR alcançou os 200 navios deste tipo. O aumento do número de novos navios e a consequente melhoria da qualidade da frota, o crescimento da tonelagem de arqueação bruta (TAB)e a diminuição da idade média dos navios (para 14 anos), apresentam igualmente indicadores interessantes que atestam as potencialidades do MAR para impulsionar a marinha mercante com bandeira nacional. A este título, note-se que a evolução da TAB no período em análise é outro dos dados importantes a reter, já que passou de um total de 1.653.620 para 3.472.826, o que corresponde a uma variação positiva de 110%. É de salientar que na sua larga maioria os navios registados são de países europeus, com tradição muito vincada nas actividades marítimas, sendo de sublinhar que no final do semestre o mercado alemão assegurava 46 % dos registos, o italiano 20 % e o espanhol 11%.

Para o crescimento sustentado do MAR muito têm contribuído as acções promocionais desenvolvidas nos diversos mercados pela S.D.M. enquanto entidade concessionária do CINM, pugnando sempre pela implementação das melhores práticas internacionais no sector. Neste particular, a parceria estratégica levada a cabo pela S.D.M. com a Euromar – EU Registry (uma empresa de capitais alemães, com uma vasta experiência no sector do transporte marítimo), concretizada no final do ano passado, para além de reforçar a promoção do Registo Internacional de Navios da Madeira, tem vindo a conferir um novo e forte impulso à competitividade e eficácia deste sector de actividade. Este sucesso, no entanto, não deve obliterar que, tendo em conta a estratégia integrada que Portugal tem procurado desenvolver no quadro da denominada “economia do mar”, o contributo do MAR para a marinha mercante nacional no plano mundial poderá ser ainda mais vincado.

Para o efeito, é importante que o País e respectivas entidades oficiais adoptem medidas para aumentar a sua competitividade, tais como a pronta e adequada ratificação por Portugal da Convenção Internacional do Trabalho Marítimo – MLC (2006) e, também, a adopção das melhores práticas internacionais quanto ao reconhecimento dos certificados dos oficiais com funções de gestão, medidas fundamentais para atribuir ao MAR condições de competitividade, pelo menos idênticas às verificadas nos outros registos marítimos europeus de qualidade com que tem de concorrer. Nesse sentido, apesar dos resultados já alcançados, a S.D.M., em articulação com o Governo Regional, tem procurado de forma constante e assertiva, designadamente junto da Secretaria de Estado do Mar, encontrar formas de ultrapassar os constrangimentos operacionais que ainda prejudicam a competitividade do Registo, e, logo, as suas condições de promoção e atractividade num sector altamente dinâmico a nível mundial.
Ler mais/Fonte: revistademarinha.com

 

Campeão olímpico aceitou o desafio de levar a Espanha ao título da Volvo

Campeão olímpico aceitou o desafio de levar a Espanha ao título da VolvoIker Martínez será, mais uma vez, o comandante da campanha espanhola na Volvo Ocean Race, repetindo a temporada 2011-12, quando foi o líder do Telefónica nas regatas. O velejador de 37 anos já estava na equipe, mas não tinha a intenção de assumir o comando. Iker Martínez faz campanha olímpica de Nacra 17, categoria que estreia nos Jogos de 2016. Ele venceu recentemente o europeu da classe. Com o foco novo para a Volvo Ocean Race, Iker Martínez e sua equipe já trabalham na Galícia para conquistar o título da edição 2014-15 da regata. Na temporada passada, o Team Telefónica esteve com a mão na taça, mas foi superado pelo Groupama nas pernas finais.

“Estou muito feliz em ser o comandante em mais um projeto. Levar a bandeira do meu país é um orgulho”, disse Iker Martínez. “Será um grande desafio por vários motivos, incluindo a dificuldade da regata e o pouco tempo de preparação até a largada, em 11 de outubro. Sabemos que corremos contra o tempo em relação aos outros times”. Iker Martínez foi campeão olímpico em Atenas-2004 na classe 49er, ao lado de Xabi Fernández, também companheiro de equipe na Volvo Ocean Race. Em Pequim-2008, a dupla ficou com a prata.

A campanha espanhola, além dos dois, terá os espanhóis Ñeti Cuervas-Mons e Rafa Trujillo, além do francês Nico Lunven. Outro francês, Michel Desjoyeaux, ajudará na preparação. “Temos sorte de contar com o Desjoyeaux. Ele tem um conhecimento muito grande da modalidade e vai nos ajudar nesse projeto”.

Michel Desjoyeaux é especialista em navegação em solitário. No seu currículo estão as participações em eventos como Vendée Globe, Solitaire du Figaro e Route du Rhum. O francês já correu a Volvo Ocean Race/Whitbread Round the World Race em 1985-86 (Cote d’Or), em 1989-90 (Charles Jourdan) e na temporada 1993-94 (La Poste). No próximo sábado (19), a equipe irá disputar a Volta das Ilhas Canárias. Além dos espanhóis, outras duas equipes da Volvo Ocean Race estarão na regata: Team Brunel e Team SCA. A Volvo Ocean Race 2014-15 começa em 4 de outubro deste ano com a In-port Race de Alicante, na Espanha. Foto: María Muñia
Ler mais/Fonte: nautica.com.br